Universo B

Propósito posto à prova: bons exemplos de marcas em meio à crise do novo coronavírus

propósito
Conheça algumas marcas que mostram que ter um propósito forte, que vai além do lucro, pode ajudar a guiar as ações do negócio em períodos de crise. 

Conheça algumas empresas que mostram, na prática, que levam a sério seus valores. Essas marcas são a prova de que ter um propósito forte, que vai além do ganho financeiro, pode ajudar a guiar as ações do negócio em períodos de crise. 

Noite passada eu tive um pesadelo.

O mundo vivia uma pandemia global, provocada por um vírus até então desconhecido. Por um lado, especialistas e líderes ao redor do mundo se movimentavam para conter a propagação da infecção. Por outro, porém, algumas empresas e governantes se recusavam a tomar as medidas necessárias, minimizando o perigo da doença e colocando milhares de vidas em risco, tudo em nome do capital, do poder e do lucro. 

Pois é, esse bem que poderia ser o roteiro de um filme de terror de mau gosto ou mesmo um sonho ruim muito louco. Mas, infelizmente, é exatamente isso que estamos vivendo atualmente.

A esse ponto, você já deve até estar com medo de checar as notícias, prevendo que a situação esteja ainda pior do que antes. Acessar as redes sociais também não traz muito conforto e, em muitos casos, só serve para deixá-lo ainda mais ansioso/com medo/revoltado. Sem contar as correntes que a sua tia insiste em passar pelo WhatsApp, falando sobre como o alho pode proteger contra a COVID-19. 😑

Estamos todos no mesmo barco, e não está fácil para ninguém.

Contudo, como geralmente acontece em meio a crises, é possível perceber claramente o lado bom de muitas pessoas e também de empresas e instituições.

Nossa missão aqui no “A Economia B” é mostrar que é possível fazer negócios sem seguir o modelo do capitalismo selvagem. Ou seja, sem necessariamente ganhar dinheiro a custas da exploração de pessoas, de comunidades e do planeta.

Em nossos artigos, damos voz às pessoas e empresas que estão formando uma nova economia, que é baseada, sobretudo, na empatia e no respeito ao coletivo.

Refletindo sobre o momento atual, podemos perceber que a crise que estamos vivendo está expondo muito bem as falhas do modelo focado no lucro acima de tudo. Uma amostra desse lado negro do capitalismo pode ser observada no perfil do Instagram @coronacapitalismo, que denuncia as empresas que estão colocando o lucro acima da saúde e da segurança de seus funcionários e clientes.

No entanto, ao mesmo tempo, o cenário atual também vem colocando em destaque organizações com uma mentalidade que vai além da vantagem financeira, negócios que são baseados em propósitos claros e que entendem seus papéis na sociedade. Esses modelos não são apenas mais fortes e resistentes a adversidades, eles são também mais justos, humanos e solidários.

E são esses exemplos que queremos destacar neste artigo.

A seguir, confira uma lista de organizações que, em meio à crise do novo coronavírus, mostram que ter um modelo de negócios focado em valores – e não apenas no lucro – é fundamental para enfrentar dificuldades e adversidades, sem perder a conexão com seu propósito e sem prejudicar o relacionamento com o público.

5 bons exemplos de ações de marcas em resposta à crise do coronavírus

Sabemos que a sobrevivência de muitos negócios está em risco no meio dessa turbulência – especialmente quando se trata de empresas de pequeno porte.

Contudo, essa é a hora em que os consumidores estarão mais atentos ao posicionamento das marcas. Essa crise vai destacar as empresas que realmente levam a sério seu papel para a construção de uma sociedade mais justa e sustentável daquelas que apenas usam o marketing de propósito de forma artificial e oportunista.

Esse é o momento em que o “papo” de muitas organizações será colocado à prova. É muito fácil ter uma declaração no site da empresa dizendo, por exemplo, que ela se importa com a comunidade em que atua e que seu propósito é contribuir com [insira aqui uma série de palavras bonitas e relevantes]. Porém, é durante situações como a que estamos vivendo que as marcas podem efetivamente mostrar na prática – por meio de ações e posicionamentos efetivos – que realmente levam a sério suas missões.

As empresas listadas a seguir não “aproveitaram” a propagação da COVID-19 para fortalecer suas marcas. Elas agiram como agiram justamente porque seus modelos de negócio são baseados em propósitos e valores fortes que guiam suas ações – em momentos bons e ruins.

Podemos identificar alguns padrões nesse sentido:

1) Se uma empresa tem o objetivo central de apenas ganhar dinheiro (acima de tudo e de todos), quando adversidades impactarem seu negócio, ela vai continuar focando na obtenção de lucro a todo custo. 

2) Já as marcas que têm o propósito de contribuir para o desenvolvimento sustentável e justo da sociedade e do planeta, continuarão agindo com esse foco mais humano e solidário, especialmente em meio a crises.

E, claro, existe ainda um terceiro cenário mais otimista: as empresas que não levavam em conta o impacto de suas operações na sociedade e no planeta e perceberão, em meio a essa crise, a importância de estabelecer valores e propósitos para guiar seu negócio – indo além da obtenção do lucro por si só. 

A boa notícia é que não faltam bons exemplos de marcas que mostram como é importante ter uma visão mais humana (e menos monetária) para que o negócio possa não apenas sobreviver, mas superar crises inesperadas e fora de seu controle.

Veja a seguir alguns deles!

BrewDog

Propósito

Esta marca de cerveja artesanal escocesa está usando suas instalações para produzir álcool em gel – o BrewGel Punk Sanitiser. A empresa vai doar esse importante recurso (escasso nesse momento) para hospitais e instituições de saúde.

E ainda, para incentivar as pessoas a ficarem em casa e mostrar que isso não precisa ser algo ruim, a marca criou o espaço virtual BrewDog Online Bar, com o intuito de reunir seus fãs e consumidores para saborearem suas cervejas juntos, em um ambiente seguro. 

Indo além, recentemente, como parte das iniciativas da empresa para tentar salvar o máximo de empregos e manter os funcionários, os fundadores da BrewDog anunciaram que estarão renunciando seus salários em 2020. 

Propósito por trás dessas ações

A BrewDog não é uma cervejaria tradicional. A marca tem alma punk e revolucionária e preza por valores como: qualidade, comunidade, inclusão, participação e desafio ao status quo.

Entre as crenças da companhia, é possível claramente identificar os posicionamentos que guiaram essas ações em meio a crise do coronavírus:

“Nós acreditamos…

  • … que empresas podem ser uma força do bem.”
  • … em tomar uma posição.”
  • … em ser um excelente empregador.”

Lição para as empresas!

Quais são os valores da sua empresa que podem guiar as suas ações nesse momento? Identifique os princípios que orientam suas operações e que podem inspirá-lo a criar iniciativas voltadas às necessidades do seu público nesse período. 

Leia também!

O ofício do jornalista, a cerveja artesanal e por que você deveria educar seu cliente

Consumidores buscam marcas que sejam suas aliadas nas transformações sociais

Casa do Saber

Propósito

Nesse momento em que as pessoas estão passando mais tempo em casa, o consumo de conteúdo online tem aumentado significativamente. Então, se for para passar um bom tempo na internet, melhor que seja aprendendo algo, certo?

Pensando nisso, a Casa do Saber (um centro de debates e disseminação do conhecimento) liberou gratuitamente todo o seu conteúdo de cursos online entre 18 de março e 18 de abril.

Propósito por trás dessa ação

A Casa do Saber destaca que resgata e estimula o debate entre as diferentes áreas do saber. “Aqui se acredita que o saber se transmite de forma mais eficiente por meio do intercâmbio e do diálogo“.

Nessa crise, mais do que nunca, a necessidade da busca pelo conhecimento se faz presente na vida das pessoas. Por meio de seu posicionamento, a empresa mostra que o apoio ao saber não é apenas uma linha em sua carta de princípios, mas sim um guia para suas ações, um verdadeiro propósito.

Lição para as empresas!

De que forma seus serviços podem ser úteis para as pessoas nesse momento? Considere oferecer acesso gratuito por tempo limitado para mostrar que sua marca está focada em ajudar seu público durante esse período turbulento.

Morrisons

Propósito

A rede de supermercados britânica Morrisons doará 10 milhões de libras em comida para abastecer organizações de combate à fome. Além disso, a empresa criou alguns pontos de coleta para que os clientes também possam doar alimentos.

Para atender as necessidades de compras atuais, a marca (que também atua no e-commerce) está lançando uma nova variedade de pacotes de alimentos simples, incluindo opções para vegetarianos. E ainda, a rede estabeleceu um horário exclusivo para atendimento a profissionais que atuam na área da saúde.

Propósito por trás dessas ações

Em resposta ao cenário atual, a Morrisons estabeleceu como seu propósito central o mote “Feeding the nation” (Alimentando a nação). Esse princípio reflete a extensão do papel da companhia: ela não quer ser apenas um supermercado, mas também um provedor essencial nesse momento de caos. 

As ações da marca indicam que a missão de alimentar a nação é para todos – especialmente aqueles que mais precisam nesse momento.

Lição para as empresas!

Você já pensou na possibilidade de mudar seu posicionamento em resposta à essa crise? Analise como é possível adaptar suas operações e ações para atender as necessidades atuais e fortalecer seu relacionamento com o público.

Leia também!

Estamos vivendo o fim do capitalismo como conhecemos?

Natura

Natura e o coronavírus

A Natura está desenvolvendo algumas ações para apoiar a rede de consultoras que vendem seus produtos. Dentre elas, destacam-se, por exemplo:

  • Prorrogação do pagamento de boletos;
  • Redução de pedido mínimo;
  • Garantia de remuneração para a força de vendas.

Além disso, a Natura & Co América Latina (grupo que reúne as marcas Avon, Natura, The Body Shop e Aesop na região) se comprometeu a produzir 15 mil quilos de álcool gel e 150 mil litros de álcool em solução 70% para serem doados para a Secretaria de Saúde de São Paulo.

E ainda, a Natura e a Avon prometem doar 2,8 milhões de unidades de sabonetes – em barra e líquido – para comunidades carentes na América Latina.

Propósito por trás dessas ações

Como B Corp, a Natura é internacionalmente reconhecida como uma marca que atua para a promoção do bem-estar social e ambiental. Aliás, a missão da empresa é promover o “Bem Estar Bem”.

Nesse momento turbulento e incerto em que vivemos, o “bem-estar” das pessoas depende diretamente da segurança de saúde e também financeira. O posicionamento da marca mostra que ela entende isso e que alinha seus valores às necessidades específicas do cenário contemporâneo.

Lição para as empresas!

Entenda como essa crise pode afetar a qualidade de vida de seus clientes e funcionários. A partir daí, analise como a sua marca pode agir para aliviar as dificuldades do seu público interno e externo.

Leia também!

Empresas B: o que são e por que são tão importantes para o futuro do planeta?

Headspace

Headspace e o coronavírus

O aplicativo de meditação Headspace está oferecendo sessões gratuitas para ajudar as pessoas a enfrentarem as mudanças e restrições causadas pela crise do coronavírus com mais tranquilidade.

Além disso, o sistema separou algumas sessões de meditação gratuitas voltadas a gestores de empresas, com o intuito de ajudá-los a liderar seus times com mais calma e sabedoria nesse momento turbulento.

E ainda, o Headspace está oferecendo assinatura gratuita para profissionais que atuam na área da saúde (por enquanto, essa gratuidade está disponível apenas nos EUA e no Reino Unido).

Propósito por trás dessas ações

O Headspace está agindo de maneira alinhada à sua missão, que é: “levar mais saúde e felicidade para o mundo”. Além de contribuir efetivamente para oferecer mais tranquilidade em meio a turbulência, a marca fortalece seu propósito e seu relacionamento com o público.

Lição para as empresas!

As pessoas estão em busca de mais informação e orientações para ajudá-las a superar esse período. Sua marca pode contribuir oferecendo conteúdo de qualidade e conhecimento especializado para apoiar seu publico nesse momento.

Leia também!

Conheça os consumidores de 2021 – e saiba como se conectar com eles por meio do marketing de conteúdo

Esses, é claro, são apenas alguns exemplos de como negócios guiados por propósitos focados na construção de uma sociedade mais justa e sustentável são capazes de navegar momentos de crise de maneira mais humana, fortalecendo suas marcas e o relacionamento com seus públicos. Porém, nos ajudam a ter esperança de que não apenas dias melhores virão, mas também de que o futuro pode ser mais humano e justo.

→ Você conhece outra marca que deveria estar nessa lista como indicação de bom exemplo a ser seguido?

Deixe um comentário! Sua participação fortalece o debate e ainda nos ajuda a mostrar ao mundo que é possível fazer melhor. 😉

Até a próxima!

Francine Pereira

Jornalista, especializada em criação de conteúdo digital. Há mais de 10 anos escrevo sobre tendências de consumo, inovação, tecnologia, empreendedorismo, marketing e vendas. Minha missão aqui no A Economia B é contar histórias de empresas que estão ajudando a transformar o mundo em um lugar mais justo, igualitário e sustentável.

Comentar

Clique aqui para publicar um comentário