Universo B

Como as empresas podem contribuir para o avanço do ODS 7 – Energia limpa e acessível para todos

Em todo o mundo, 789 milhões de cidadãos não têm eletricidade em casa. Entenda o papel do poder privado para o avanço do ODS 7 e conheça organizações que já estão agindo para levar eletricidade para quem mais precisa

Objetivo de Desenvolvimento Sustentável – ODS 7:

acesso à energia - ODS na pandemiaEste conteúdo faz parte da série Pandemia de Covid-19 e os ODSClique aqui e confira todos os artigos sobre o impacto dessa crise na Agenda 2030. 

Para muitas pessoas, eletricidade é algo comum e trivial, a sua presença é garantida e inquestionável. Contudo, para quem não tem acesso a esse recurso fundamental, sua ausência é inegável e cruel. Além disso, afeta todos os aspectos de suas vidas. Afinal, sem acesso à eletricidade, além de viver em condições precárias, essas pessoas estão muito mais vulneráveis a doenças e até mesmo não têm as mesmas oportunidades de trabalho. 

E não são poucos os que vivem nessa situação!

Em todo o mundo, 789 milhões de cidadãos não têm eletricidade em casa. No Brasil, 990 mil pessoas não têm acesso à energia elétrica. 

Em meio à pandemia de Covid-19, a falta de acesso à eletricidade prejudica ainda mais a vida de populações já bastante vulneráveis, uma vez que esse é um recurso fundamental no combate ao novo coronavírus. 

Leia também:
O acesso à energia no centro da pandemia (ODS 7)
 


O sétimo Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU foca justamente nesse problema. As metas centrais estabelecidas nessa área são:
 

  • Assegurar energia limpa, confiável e a preço acessível para todos, melhorando as condições de vida de milhões de pessoas.
  • Aumentar o uso de energia renovável em detrimento dos combustíveis fósseis, promovendo a eficiência energética e redes de energia mais sustentáveis. 

O papel das empresas no avanço do ODS 7 

Imagem: Insolar

Empresas que atuam no setor energético podem trabalhar de maneira mais direta nesse problema, adequando suas operações para contribuir para o progresso do acesso à energia limpa e segura para todos. Contudo, todas as organizações, independentemente do segmento, podem agir em prol do ODS 7. 

Segundo o Pacto Global, movimento que incentiva o alinhamento de estratégias empresariais aos direitos humanos, estas são algumas iniciativas e práticas que setor privado pode adotar para democratizar o acesso à energia e colaborar para o crescimento das redes de energia mais sustentáveis:

  1. Treinar funcionários e fornecedores em práticas de eficiência energética e criar guias que estabeleçam diretrizes de economia e consumo em escritórios e fábricas.
  2. Controlar o uso de energia na movimentação de colaboradores, fornecedores e na distribuição de produtos e serviços da empresa.
  3. Substituir gradativamente o uso de energia fóssil por energia renovável nas atividades e operações da empresa.
  4. Implementar sistemas certificados de gestão de energia.
  5. Estabelecer critérios de eficiência energética e utilização de energias renováveis ​​nos edifícios e instalações da empresa.
  6. Investir em práticas e ferramentas para economia e eficiência energética – como, por exemplo, tecnologias de alta eficiência – ou implementando medidas de controle de consumo.
  7. Investir em eficiência em toda a cadeia de abastecimento para ajudar a reduzir o custo de energia no transporte de produtos e serviços.
  8. Executar e apoiar projetos de melhoria de acesso à energia em comunidades isoladas próximas às operações da empresa.
  9. Criar alianças público-privadas com ONGs, universidades, setor público e outras empresas para a realização de projetos que contribuam para a democratização do acesso à energia ou para a promoção das energias renováveis.
  10. Apoiar ações de energia mais ousadas por parte dos governos, universidades ou outras instituições para estimular o progresso em eficiência energética e a transição para energias renováveis.

Saiba mais

Certificações e selos de eficiência energética 

Imagem: Karsten Würth/Unsplash

As organizações podem contribuir para o progresso do ODS 7 adotando diretrizes e regras apontadas por instituições nacionais e internacionais voltadas à eficiência energética e à expansão das energias renováveis. Caso, por exemplo, destas três: 

  • REC – Certificado de Energia RenovávelEste selo garante que a empresa utiliza energia gerada a partir de fontes renováveis. 
  • RE 100Iniciativa global de grandes empresas comprometidas com o consumo de 100% de energia renovável. Até o fechamento desta matéria, nenhuma empresa brasileira participava do RE 100. 
  • ISO 50001Norma internacional que estabelece requisitos para a implantação de um Sistema de Gestão de Energia nas empresas, focando na melhoria contínua da eficiência energética. 

Sete empresas que estão contribuindo para o progresso do ODS 7 

Um dos obstáculos para o avanço do ODS 7 é a falta estrutura adequada para o oferecimento de energia. Além disso, faltam investimentos para a criação de redes de energia seguras e acessíveis à população.  

Nesse sentido, o progresso de redes de energia renováveis está diretamente relacionado à democratização do acesso à energia em áreas remotas. Afinal, soluções independentes (off-grid) de energias renováveis geralmente são mais fáceis de serem instaladas. Além disso, são mais acessíveis e podem ser administradas pela própria população local. Ou seja: geram energia, economia e renda. 

Inclusive, é exatamente esse tipo de ação que muitas empresas estão promovendo para levar eletricidade para quem mais precisa. Apresentamos algumas delas a seguir.

Insolar

empresas e o ODS 7
Imagem: Insolar

Essa B Corp é um negócio social que promove a democratização do acesso à energia solar no Brasil. Por meio de parcerias com microempresas, grandes organizações, cidadãos e poder público, a Insolar instala sistemas fotovoltaicos que convertem a energia solar em energia elétrica. Assim, é possível reduzir a conta de luz dos moradores e de ONGs, contribuindo para o avanço de energia limpa no Brasil. 

Os locais de instalação – seja uma residência ou uma instituição – são definidos com a ajuda da comunidade. A Insolar, então, identifica as melhores fontes de recursos, capacita a mão de obra local e realiza oficinas e treinamentos. Ou seja, tudo é feito para que energia gerada pelos painéis solares cause o máximo de impacto socioambiental para os beneficiários e para as comunidades. 

Pavegen

empresas e o ODS 7
Imagem: Pavegen

A tecnologia desenvolvida pela Pavegen capta a energia mecânica dos passos e transforma em energia elétrica. Para isso, a empresa instala placas cinéticas em centros urbanos de alta circulação. Segundo a Pavegen, cada pedestre pode gerar até 7 watts de energia, dependendo de quanto tempo passa caminhando em um mesmo local. 

O potencial da Pavegen vai além da geração de energia limpa, já que a tecnologia também gera dados – indicando, por exemplo, a quantidade de energia gerada pela caminhada de uma pessoa (o que possibilita, por exemplo, a oferta de recompensas). 

Estre

empresas e o ODS 7
Imagem: Estre

A Estre é uma empresa de serviços ambientais que utiliza o lixo coletado para gerar energia limpa e renovável. A organização aposta na geração de energia a partir do biogás proveniente de seus aterros sanitários. 

O gás é captado por drenos instalados em todo o aterro e é canalizado para a usina através de uma rede de gás que interliga os drenos. Esse gás passa por um processo de filtragem, resfriamento e então está apto para ser usado como combustível em motogeradores, que queimam o biogás e geram energia elétrica. 

Essa é uma iniciativa importante do ponto de vista ambiental. Afinal, nesse processo, gases que contribuem diretamente para o efeito estufa (como metano e dióxido de carbono, por exemplo) são transformados em energia renovável e limpa. 

Enercoop

empresas e o ODS 7
Imagem: Enercoop

A Enercoop é uma cooperativa francesa de energia elétrica que utiliza apenas energia renovável. O modelo de cooperativa gera emprego local, transparência e cooperação entre clientes, produtores, fundadores, funcionários, parceiros e comunidades locais. Metade dos locais de produção de energia é propriedade de cidadãos – o que promove o desenvolvimento da economia local e a reapropriação de energia pelos moradores. 

Além disso, a Enercoop, que é uma empresa B, investe em projetos que incentivam uma transição energética que beneficia os cidadãos e a economia local. A cooperativa também é parceira do Énergie Solidaire, um fundo de doação que visa tirar famílias da pobreza energética. Ou seja, o trabalho da Enercoop está diretamente relacionado às principais metas do ODS 7.

Energy Farm

empresas e o ODS 7
Imagem: Energy Farm

A Energy Farm nasceu com a missão de acabar com a pobreza energética. A empresa oferece serviços e soluções de energia solar e energia eólica que visam facilitar o acesso à eletricidade em comunidades remotas e vulneráveis. 

O negócio atua em parceria com governos, corporações e ONGs para levar energia renovável para quem mais precisa. Mais de 5 mil pessoas já foram beneficiadas pelos projetos desenvolvidos pela Energy Farm. Além disso, a energia gerada pelos sistemas solares da empresa já gerou um impacto equivalente a 33.1 toneladas de redução de emissões de CO2. 

Selco

empresas e o ODS 7
Imagem: Selco

A Selco foi fundada com o objetivo de quebrar alguns mitos em torno de energias renováveis – especialmente o de que a população mais pobre não teria condições de pagar e manter recursos energéticos sustentáveis. 

A empresa oferece produtos e soluções de energia solar para áreas rurais na Índia, promovendo melhores condições para geração de renda nessas comunidades. Os serviços são personalizados de acordo com o contexto e as necessidades específicas de cada local. Além disso, a Selco atua como facilitador financeiro, oferecendo ajuda aos fazendeiros por meio de parcerias com instituições financeiras. 

Dessa forma, a Selco impacta positivamente não apenas na evolução do ODS 7, mas de vários outros Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Solar Solution PNG

A Solar Solutions PNG oferece soluções de energia simples e sustentáveis. A missão da empresa é levar eletricidade para todos na Papua Nova Guiné, onde apenas 13% da população está conectada à rede de eletricidade. Em algumas áreas do país, a eletricidade funciona somente durante a noite, o que prejudica diretamente a economia local e a educação de milhares de crianças e jovens. 

As soluções de energia solar da companhia vão desde postes, lâmpadas portáteis, eletrodomésticos e geradores até itens para cozimento seguro. Além de impactar a vida dos cidadãos, essas soluções proporcionam melhores condições de vida e mais oportunidades para a população atendida. 

Iniciativas que contribuem para o progresso do ODS 7 no Brasil e no mundo 

Os exemplos citados acima mostram que existem diversas formas de o poder privado contribuir para o avanço do ODS 7 desenvolvendo projetos e produtos com esse foco. 

Porém, há outro caminho a ser seguido – especialmente pelos negócios que não possuem know-how na área de energia: apoiar e realizar parcerias com organizações que trabalham para democratizar o acesso à eletricidade limpa e segura.

A seguir, conheça algumas ONGs e instituições que sua empresa pode apoiar como forma de contribuir para que cada vez menos pessoas vivam sem energia.   

Revolusolar

Imagem: Revolusolar

Esta ONG trabalha para levar energia solar para comunidades de baixa renda no Rio de Janeiro (RJ).

Na prática, a Revolusolar promove o desenvolvimento sustentável através da energia solar em três frentes de atuação: geração distribuída de energia sustentável (GDES), formação profissional em eletricidade e instalações solares e educação ambiental infanto juvenil. 

Além disso, as instalações de GDES são realizadas, operadas e mantidas pelos profissionais formados pela ONG. Essa capacitação, aliada à educação infanto-juvenil, promove o envolvimento da população local em todas as fases do projeto.   

💡 Saiba mais e apoie! 

Litro de Luz

Imagem: Litro de luz

Presente nas cinco regiões do país, a Litro de Luz Brasil leva iluminação solar a comunidades sem acesso à energia ou sem luz nas ruas por meio de postes, lampiões e soluções solares compostas por materiais simples como garrafa PET e canos PVC, além de placa solar, bateria e LED. 

A organização faz parte do movimento global Liter of Light, que surgiu em 2011, nas Filipinas, inspirado pela “Lâmpada de Moser” (solução criada em 2002 pelo mecânico brasileiro Alfredo Moser): garrafa pet no telhado abastecida com água e alvejante, que por meio da refração proporcionava uma iluminação equivalente a uma lâmpada de 60 watts. 

💡 Saiba mais e apoie! 

Sustainable Energy for All (SEforALL) 

Imagem: SEforAll

A Sustainable Energy for All é uma organização internacional que trabalha em parceria com a ONU, líderes globais, governos, poder privado, ONGs e sociedade civil para acelerar o progresso do ODS 7 e o atingimento das diretrizes do Acordo de Paris. 

Ou seja, a SEforALL atua para garantir uma transição de energia limpa que não deixa ninguém para trás e traz novas oportunidades para que todos realizem seu potencial. 

Durante a pandemia, o trabalho da entidade tem os seguintes focos:

  • Projetos nas áreas de abastecimento de energia para centros de saúde;
  • Suporte de sistemas independentes de energia que atendem populações isoladas;
  • Orientação sobre a importância do investimento em energia limpa para a recuperação pós-pandemia, promovendo um crescimento econômico resiliente, com novos empregos e energia sustentável para todo no longo prazo. 

💡 Saiba mais e apoie! 

Todos juntos pela evolução do ODS 7

Imagem: Liter of light

Sem acesso a sistemas de eletricidade, muitos cidadãos sofrem com: 

  • Falta de oportunidades (de trabalho e educação);
  • Riscos de saúde e falta de tratamentos adequados;
  • Falta de segurança e mobilidade;
  • Falta de acesso a informações e conhecimentos. 

Ou seja, a falta de acesso à energia é um fator diretamente relacionado com os níveis elevados de pobreza e a vulnerabilidade de uma população. 

Nesse sentido, o alcance do ODS 7 é crucial para promover o crescimento econômico e as oportunidades de emprego e o desenvolvimento humano sustentável e justo. 

Esperamos que as histórias apresentadas e as reflexões propostas o ajudem a encontrar formas de fazer a sua parte – seja individualmente, apoiando causas que apoiam o avanço do ODS 7, ou por meio de ações empresariais focadas nessa causa!

Conhece ou trabalha em uma empresa que está agindo para contribuir para o avanço do ODS 7? Deixe um comentário com sua indicação ou entre em contato conosco. Essa é uma lista viva e poderá ser atualizada com as suas sugestões.


Veja mais exemplos de empresas que estão agindo para amenizar os impactos da pandemia:

Para continuar recebendo as atualizações sobre essa série e de todos os nossos conteúdos, assine nossa Newsletter e nos siga no Instagram e no LinkedIn.

Francine Pereira

Jornalista, especializada em criação de conteúdo digital. Há mais de 10 anos escrevo sobre tendências de consumo, inovação, tecnologia, empreendedorismo, marketing e vendas. Minha missão aqui no A Economia B é contar histórias de empresas que estão ajudando a transformar o mundo em um lugar mais justo, igualitário e sustentável.

Comentar

Clique aqui para publicar um comentário