Universo B

Como as empresas podem contribuir para promover trabalho decente e crescimento econômico sustentável para todos (ODS 8)

Chevanon/Pexels

Conheça algumas práticas que as organizações podem adotar para contribuir para o progresso do ODS 8, promovendo uma economia mais sustentável, com trabalho decente para todos 

Objetivo de Desenvolvimento Sustentável – ODS 8:

ODS 8 - desemprego e a Agenda 2030Este conteúdo faz parte da série Pandemia de Covid-19 e os ODS. Clique aqui e confira todos os artigos sobre o impacto dessa crise na Agenda 2030. 

Promover o crescimento econômico sustentado, inclusivo e sustentável, com emprego pleno e produtivo e trabalho decente para todas e todos. Este é o oitavo objetivo da Agenda 2030 para o desenvolvimento sustentável.

Para alcançar as metas deste ODS, é preciso que haja trabalho de qualidade para todas as pessoas, especialmente para mulheres, jovens e outros grupos em situação de vulnerabilidade. Além disso, é fundamental erradicar o trabalho forçado e infantil e promover o empreendedorismo e a inovação tecnológica. Tudo isso sem prejudicar o meio ambiente, é claro. 

No entanto, como você pode imaginar, os desafios para o progresso nessas áreas são muitos. 

Mesmo antes da pandemia de Covid-19, aliás, o alcance das metas do ODS 8  já estava ameaçado. Contudo, a crise sanitária prejudicou ainda mais o avanço desse objetivo, causando a pior recessão econômica global desde a Grande Depressão, com um enorme impacto no tempo de trabalho e na renda em todo o mundo.

O cenário atual é bastante desafiador:

  • Índices de desemprego elevados;
  • Mais pessoas dependendo de programas sociais;
  • Recuperação econômica lenta;
  • Desigualdade de acesso a oportunidades de trabalho decente;
  • Desequilíbrio de rendimentos…

Enfim, por tudo isso, especialistas em diferentes áreas concordam que para o ODS 8 ser alcançado até o final desta década são necessárias ações drásticas em prol da construção de um futuro com trabalho decente e renda justa para todos e com uma economia sustentável e inclusiva.

As empresas têm um papel crucial nessa jornada. Afinal, elas são centrais para o crescimento econômico e a criação de empregos.

Para contribuir para o avanço do ODS 8, o poder privado deve: 

  • Garantir condições dignas de emprego – tanto para seus trabalhadores diretos quanto por meio de suas cadeias produtivas;
  • Erradicar práticas que coloquem em risco os direitos trabalhistas;
  • Estimular a contratação de novos trabalhadores, principalmente entre grupos em situação de vulnerabilidade;
  • Aumentar a produtividade econômica, por meio da promoção de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (P,D&I), tecnologia e empreendedorismo.

A seguir, entenda melhor o papel das organizações privadas para a criação de um mercado de trabalho e uma economia mais justa, igualitária e sustentável.

Além disso, inspire-se nas ações de seis empresas que já estão atuando na construção desse futuro e conheça sete ONGs que você pode apoiar para impulsionar o progresso do ODS 8.

Saiba mais: Como o aumento do desemprego afeta a Agenda 2030 e a evolução do ODS 8

Trabalho decente para todos e todas

ODS 8 trabalho decente
Lagos Techie/Unsplash

Uma das metas do ODS 8 é garantir o “emprego pleno e produtivo e trabalho decente”.

O trabalho decente, conforme definido e defendido pela Organização Internacional do Trabalho, “proporciona às pessoas identidade social, dignidade e autorrespeito, promovendo uma cultura de aprendizagem e desenvolvimento humano e social”. 

O ODS 8 defende ainda que a condição de emprego pleno e trabalho decente esteja disponível para todos igualmente – sem discriminação de gênero, raça, idade ou contra pessoas com deficiência. Portanto, é papel das empresas não só garantir condições justas de trabalho, como também diminuir as desigualdades no mercado e viabilizar um ambiente equitativo e inclusivo.

Saiba mais: Diversidade e Inclusão nas empresas – uma jornada de transformação necessária e urgente

O caminho para a implementação do ODS 8 nas empresas

Ryoji Iwata/Unsplash

O ODS 8 apresenta desafios de proporções enormes, em diferentes áreas. Então, é normal que muitos empresários se sintam perdidos sobre como dar os primeiros passos para atuar em prol deste objetivo.

Uma abordagem defendida pela consultoria The Purpose of Business é a chamada Curva de Crescimento Responsável. Nesse modelo, as organizações podem atuar em três níveis de engajamento: Acompanhar; Sustentar; Alcançar. Cada uma dessas etapas tem níveis diferentes de envolvimento da empresa. 

Acompanhar

No nível Acompanhar, a organização age para ajustar seus processos para atender às especificidades do ODS 8.

Neste nível, é possível, por exemplo:

  • Alterar processos para garantir que sua empresa forneça igualdade de remuneração e uma força de trabalho diversificada (ODS 8.5);
  • Proteger direitos trabalhistas e a segurança do trabalhador (ODS 8.8).

Sustentar

No nível Sustentar, a empresa desenvolve ações para analisar pontos de melhoria em seus processos e cadeia de produção para se adequar ao ODS 8.

Entre as iniciativas que se enquadram neste nível podemos destacar, por exemplo, a construção de indicadores de diversidade de funcionários além das divisões de gênero, abrangendo outros aspectos, tais como: pessoas com deficiência, com status de imigrante, com diferentes nacionalidades, experiências de educação especializada etc.

Tais indicadores revelam a diversidade corporativa e mostram os grupos que podem merecer mais apoio em seu treinamento e desenvolvimento de carreira.

Alcançar

E no nível Alcançar, o negócio passa a se envolver externamente, atuando em conjunto com a comunidade e outras instituições e empresas para promover um mercado de trabalho mais inclusivo e sustentável.

Empresas que se envolvem neste nível promovem ou apoiam discussões transparentes com várias partes interessadas (representantes de governos, organizações de empregadores e trabalhadores, sociedade civil, instituições acadêmicas, comunidades locais, jovens, atores da indústria e mídia) para apresentar soluções para promover o trabalho decente e superar desafios do crescimento econômico.

 4 ações para empresas atuarem em prol do ODS 8 e promoverem trabalho decente para todos e todas

Javier Allegue Barros/ Unsplash

O guia Blueprint For Business Leadership On The SDGs traz algumas diretrizes para apoiar os empresários no caminho para a implementação do ODS 8. 

Esse relatório aponta quatro ações fundamentais para que as empresas possam se envolver de forma efetiva na construção de uma economia mais inclusiva e sustentável. São elas:

1) Apoiar condições de trabalho decente para todos os funcionários em todo o negócio e na cadeia de suprimentos, com parcerias para capacitar os fornecedores a fazerem o mesmo

Exemplos práticos: 

  • Uma empresa de vestuário implementa programas para aumentar a capacidade dos fornecedores de pagar um salário digno e promove o uso de pagamentos digitais para garantir que o progresso possa ser devidamente rastreado e avaliado. 
  • Uma empresa de recursos globais implementa mecanismos para rastrear, prevenir e abordar a violação dos direitos trabalhistas em toda a cadeia de suprimentos, incluindo o agrupamento de dados e o uso sistemático de avaliação de impacto sobre os direitos humanos para entender os riscos existentes nos níveis de país e setor.

Dicas para implementar essa ação: 

  • Realize parcerias com as principais partes interessadas, incluindo colaboradores, sindicatos, outras empresas e governos para abordar os problemas sistêmicos referentes à falta de condições de trabalho decentes enfrentadas por muitos trabalhadores. 
  • Relate os impactos negativos e positivos e envolva profundamente os stakeholders para obter feedback sobre as condições de trabalho e melhorar suas práticas. 

2) Educar e treinar a força de trabalho, com foco em grupos vulneráveis e economicamente desfavorecidos

Exemplos práticos: 

  • Uma empresa de contabilidade oferece estágios e oportunidades de emprego direcionados a jovens em situações de vulnerabilidade. Além disso, envia seus funcionários para trabalhar como voluntários em escolas para melhorar os resultados educacionais e a empregabilidade. 
  • Uma fabricante de computadores contrata trabalhadores de baixa renda de diversos setores, cujos empregos provavelmente serão automatizados, e os treina em programação. Assim, eles ganham oportunidades em áreas emergentes, como gerenciamento de segurança cibernética, operações de plataforma em nuvem e desenvolvimento de aplicativos móveis.

Dicas para implementar essa ação:  

  • Para liderar a educação e o treinamento da força de trabalho, é essencial que as empresas trabalhem com instituições educacionais, governos nacionais e regionais e comunidades locais para entender como podem trabalhar melhor em conjunto e incluir especificamente grupos desfavorecidos. 
  • Trabalhar com grupos vulneráveis requer a gestão de riscos de impactos negativos e a implementação de proteções apropriadas. Conte com a ajuda de profissionais especializados nesse sentido para elaborar o melhor plano de ação.

3) Criar vagas de trabalho decente em setores de mão-de-obra intensiva, especialmente nos países menos desenvolvidos

Exemplos práticos: 

  • Um banco internacional oferece serviços de financiamento especiais para empresas em crescimento e startups em países menos desenvolvidos para ajudar a aumentar o emprego local e contribuir para a elevação das comunidades pobres. 
  • Uma empresa internacional de alimentos se compromete a obter uma porcentagem significativa de sua matéria-prima de pequenos agricultores em países em desenvolvimento para aumentar o emprego local. 

Dicas para implementar essa ação:  

  • Demonstre seu compromisso com os Objetivos Globais da Agenda 2030 criando empregos voltados a áreas essenciais para o avanço do desenvolvimento sustentável. 
  • Para criar empregos de forma sustentável e ética, é essencial ter salvaguardas ambientais e sociais robustas, que levem em conta os impactos (negativos e positivos) e envolvam profundamente os stakeholders para entender como suas atividades influenciam as pessoas e o planeta.

4) Impulsionar o crescimento econômico e a produtividade investindo em P&D, atualizando habilidades e apoiando negócios em crescimento, de forma compatível com o desenvolvimento sustentável

Exemplos práticos: 

  • Uma empresa de brinquedos faz parceria com escolas e instituições de ensino superior para lançar um programa sobre “meninas nos campos STEM” para impulsionar o crescimento, aumentando a participação feminina na força de trabalho. 
  • Uma empresa desenvolve tecnologia para usar resíduos plásticos para gerar energia limpa, atendendo tanto o objetivo de sustentabilidade quanto o de acesso à energia.

Dicas para implementar essa ação:

  • As empresas devem garantir que todas as suas atividades apoiem o crescimento econômico e a produtividade, incluindo a adoção de tributação responsável, para garantir que os governos possam fazer os investimentos públicos necessários. 
  • Para impulsionar o crescimento econômico e a produtividade sustentáveis, uma empresa deve sempre ter proteções ambientais e sociais robustas e monitorar e relatar seus impactos nas pessoas e no planeta. 

Boas práticas para a promoção de trabalho decente e para o crescimento econômico sustentável

Veja abaixo as recomendações do Pacto Global, movimento que incentiva o alinhamento de estratégias empresariais aos direitos humanos: 

Iniciativas e práticas que setor privado pode adotar para contribuir para o avanço do ODS 8

Como uma economia de emissões neutras pode alavancar o mercado de trabalho

ODS 8 trabalho decente
Nicholas Doherty/Unsplash

Uma das principais maneiras pelas quais as empresas podem contribuir diretamente para o avanço da Agenda 2030 é por meio de ações para promover uma economia mais sustentável, baseada na circularidade dos recursos e com foco em neutralizar os impactos das emissões causadas pelas operações e regenerar o ecossistema global. 

O ODS 8 especificamente defende a construção de uma economia inclusiva e justa, mas que também seja benéfica para o planeta. Isso é importante porque uma economia mais sustentável ajuda a garantir um futuro melhor para os trabalhadores, com mais oportunidades e mais segurança no longo prazo. 

Segundo análises da Organização Internacional do Trabalho (OIT), uma economia de carbono zero na América Latina, por exemplo, acabaria com 7,5 milhões de empregos em eletricidade de combustível fóssil, extração de combustível fóssil e produção de alimentos de origem animal. Contudo, esses empregos perdidos seriam mais do que compensados por novas oportunidades de emprego…

De acordo com a OIT, em uma economia de zero emissões, 22,5 milhões de empregos seriam criados na agricultura e produção de alimentos à base de plantas, eletricidade renovável, silvicultura, construção e manufatura. 


Estudo B: Como criar e executar uma agenda climáticaQuer saber como sua empresa pode se tornar mais sustentável?

Leia o Estudo B #1: Como criar e executar uma agenda climática
Nesse relatório, você descobrirá as principais movimentações globais para um futuro carbono zero e, além disso, conhecerá histórias de empresas que mostram como inovar e criar diferenciais competitivos nesse contexto.
 

Faça o download gratuitamente!


Seis empresas que estão contribuindo para o progresso do ODS 8

Grupo 3Corações 

ODS 8 trabalho decente

Criado com o objetivo de valorizar o papel das mulheres no campo e na produção de café, o Projeto Florada do Grupo 3Corações busca elevar a inclusão social dessas trabalhadoras, por meio da capacitação para melhorar a qualidade da produção e da geração de renda resultante da venda dos produtos.  

A iniciativa foi estruturada com base em diversas ações. Uma delas foi a oferta de um programa de capacitação gratuito, o Florada Educa, que proporciona acesso às melhores práticas de produção de cafés especiais. 

Outra ação importantes nesse sentido foi a realização do Concurso Florada Premiada, que reconhece e valoriza cafés de alta qualidade. Além disso, o concurso promove  a aproximação com os consumidores, que passam a conhecer as histórias por trás dos cafés. 

Mais informações em: projetoflorada.com.br/florada

Fratelli Carli

ODS 8 trabalho decente

Fundada em 1911, a fabricante de azeite Fratelli Carli é uma empresa familiar que promove diversas ações de sustentabilidade, tais como uso de energia renovável, redução de resíduos e utilização de embalagens ecologicamente corretas. 

Além disso, a Fratelli, que é uma empresa B italiana, também atua para criar um ambiente de trabalho decente, justo e equitativo. 

  • Ao trabalhar com mais de 200 microprodutores locais, a Fratelli Carli promove o crescimento econômico inclusivo e sustentável na região da Ligúria, Itália.
  • A organização também tem iniciativas para oferecer trabalho decente para todas as mulheres e homens – atualmente, 47% dos funcionários da empresa são mulheres.
  • Por fim, a Fratelli Carli oferece treinamento para funcionários de todos os níveis e oferece um programa de bem-estar que inclui as áreas de saúde, família e lazer. 

Mais informações em: oliocarli.it/sostenibilita/progresso-responsabile

Just Good Work

ODS 8 trabalho decente

Just Good Work é uma plataforma independente e colaborativa que busca promover o recrutamento responsável, ajudando trabalhadores a encontrarem as melhores oportunidades de trabalho no exterior. 

O aplicativo surgiu para suprir a necessidade de trabalhadores que são contratados para atuar em outros países e acabam sendo enganados e explorados por empregadores mal-intencionados, colocando-os em uma situação de vulnerabilidade, próxima à escravidão moderna. 

Essa empresa B britânica fornece informações e conselhos sobre direitos e responsabilidades durante o processo de recrutamento e no trabalho no país de destino. Tudo isso em diversos idiomas! 

A plataforma visa aumentar a transparência do processo de contratação internacional, permitindo que as pessoas façam escolhas conscientes. O aplicativo capacita os candidatos a emprego a garantir um trabalho decente, seguro, lucrativo e legal, orientando-os sobre como evitar fraudes, dívidas e exploração. 

Por fim, o Just Good Work oferece aos trabalhadores no exterior informações sobre como ter acesso à ajuda em todas as fases de seu emprego, incluindo o retorno para casa. 

Mais informações em: justgood.work

Egalitê

ODS 8 trabalho decente

A Egalitê é uma plataforma que visa facilitar a inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho por meio de um banco automatizado de vagas voltadas especificamente a esse público. 

A missão deste negócio de impacto é “estabelecer com responsabilidade e segurança a conexão entre organizações e pessoas com deficiência através da seleção, capacitação e acompanhamento dos agentes desta relação, demonstrando para o mercado e a sociedade o valor da igualdade de oportunidades”.

Além do banco de vagas, a Egalitê oferece materiais educativos para as empresas que desejam se tornar mais diversas e inclusivas. Além disso, no portal, pessoas com deficiência podem realizar cursos gratuitos para ajudá-las na inserção no mercado de trabalho. 

Mais informações em: egalite.com.br 

Baluarte

ODS 8 trabalho decente

O Estúdio Escola de Animação desenvolvido pela Baluarte nasceu com o objetivo de qualificar jovens de 16 a 24 anos para o mercado de animação digital. O foco é atender a jovens que vivem em condições socialmente vulneráveis e que estudam nas escolas públicas da rede estadual do Rio de Janeiro. 

O projeto é composto por duas etapas: 

  • Sensibilização dos jovens para o processo de criação e produção, por meio de eventos lúdicos e interativos;
  • Realização de oficinas de cinco meses de duração, nas quais são apresentadas teorias e técnicas de animação. 

Ao término do período, cada turma terá produzido um curta metragem de aproximadamente três minutos. Todas as etapas são completamente autorais – ou seja, os alunos desenvolvem seus projetos integralmente, com base nos conhecimentos transmitidos, desde a concepção do roteiro até a animação final. 

Mais informações: baluartecultura.com.br

Leia também: Como pequenas empresas podem ajudar a combater a crise climática

Tony’s Chocolonely

ODS 8 trabalho decente

Essa empresa foi fundada com um objetivo muito claro: acabar com a escravidão na indústria do chocolate. Para isso, eles decidiram fazer parte do jogo, vendendo chocolate para ser um agente de transformação na cadeia deste setor.

Para cumprir a sua missão, a Tony’s Chocolonely trabalha em diversas frentes. O projeto deles é baseado em cinco iniciativas pensadas para reestruturar a cadeia de suprimentos e criar um sistema justo: 

  1. Rastreamento dos grãos;
  2. Remuneração justa aos produtores;
  3. Fortalecimento de pequenos produtores;
  4. Parcerias com cooperativas e produtores;
  5. Capacitação da rede para mais produtividade e qualidade. 

A empresa defende que os seus Cinco Princípios de Fornecimento sejam o novo normal da indústria de chocolate. 

Mais informações: tonyschocolonely.com

Saiba mais: A empresa que nasceu para acabar com a escravidão na indústria do chocolate

7 ONGS que sua empresa pode apoiar para acelerar o progresso do ODS 8

Refúgio 343

Se sua empresa realmente está comprometida com o ODS 8, precisa realizar parcerias com outros agentes da sociedade que também estão atuando nas áreas relacionadas à geração do emprego pleno para todos e ao crescimento econômico sustentável. 

Além de se unir a instituições de ensino, governos e até mesmo outras empresas, para ajudar a alavancar o ODS 8 seu negócio também pode fazer parcerias com ONGs que já atuam nesse sentido – caso, por exemplo, das sete que destacamos a seguir.

Artemisia

A Artemisia atua na disseminação e no fomento de negócios de impacto social no Brasil. A ONG apoia negócios voltados à população em situação de vulnerabilidade econômica, que criam soluções para problemas socioambientais, provocam impacto social positivo por meio da sua atividade principal, são rentáveis e possuem potencial de escala. 

Saiba mais: artemisia.org.br

Refúgio 343

Refúgio 343 é uma organização humanitária dedicada à reinserção socioeconômica de refugiados e migrantes. Eles trabalham para garantir que as famílias refugiadas sejam devidamente inseridas na sociedade. Por meio da Escola Refúgio, a ONG oferece ferramentas para refugiados e imigrantes recomeçarem suas vidas no Brasil com mais confiança e autoestima. 

Saiba mais: refugio343.org

Rede Cidadã

A Rede Cidadã é uma entidade de assistência social que desenvolve programas e projetos de forma continuada, permanente e planejada. O objetivo da organização é criar soluções de geração de trabalho decente e renda para pessoas da base da pirâmide. Desde a sua fundação, a Rede Cidadã já inseriu mais de 88.000 pessoas no mercado de trabalho. 

Saiba mais: redecidada.org.br

Gastromotiva

A Gastromotiva é uma organização que oferece formações profissionais para que seus alunos se tornem auxiliares e chefs de cozinha, empreendedores e replicadores da sua metodologia. Além de despertar em muitos deles a vontade de se tornarem mobilizadores comunitários, que geram oportunidades locais e ações de combate à fome em seus territórios. 

Saiba mais: gastromotiva.org

Gerar

A Gerar tem a missão de promover o desenvolvimento social através de ações educacionais e da geração de emprego e renda. Com foco não somente em combater a pobreza, mas também criar condições sustentáveis de transformação social, a ONG criou uma tecnologia social. Trata-se de uma metodologia capaz de ser aplicada em diversas localidades, aproveitando as potencialidades locais para a realização de projetos de geração de trabalho e renda. 

Saiba mais: gerar.org.br

InPACTO

Um dos principais gargalos para o combate ao trabalho escravo no Brasil e no mundo é a escassez de informações que possam contribuir para a tomada de decisões daqueles que buscam negócios socialmente responsáveis, políticas públicas eficientes, diálogo com a sociedade civil e consumidores. A ONG InPACTO utiliza tecnologias para análise e cruzamento de dados socioeconômicos para identificar a vulnerabilidade à exploração de trabalhadores em municípios brasileiros. 

Saiba mais: inpacto.org.br

Instituto Ramacrisna

​​O Instituto Ramacrisna desenvolve projetos de aprendizagem, profissionalizantes, culturais, de geração de trabalho e renda, de tecnologia, de esporte e lazer, entre outros, para comunidades em situação de vulnerabilidade social de 13 cidades da Região Metropolitana de BH. 

Saiba mais: ramacrisna.org.br

Todos juntos pela evolução do ODS 8

Alexander Suhorucov/Pexels

Indo além da Agenda 2030, agir para a construção de uma economia mais inclusiva e sustentável é imperativo para as empresas que desejam se manter relevantes no mercado. Afinal, fica cada vez mais claro que o modelo econômico atual – focado no lucro acima de tudo – não é sustentável no longo prazo.

O caminho para um futuro mais resiliente, inclusivo e sustentável passa por desenvolver processos empresariais que sejam bons para as pessoas e para o planeta. Guiar-se pelas metas do ODS 8 é um excelente caminho para empresas que desejam participar ativamente da construção dessa nova economia. 

Esperamos que as histórias apresentadas e as reflexões propostas lhe ajudem a encontrar formas de fazer a sua parte – seja individualmente, apoiando causas que apoiam o avanço do ODS 8, ou por meio de ações empresariais focadas nessa causa.

Conhece ou trabalha em uma empresa que está agindo para contribuir para o avanço do ODS 8? Deixe um comentário com sua indicação ou entre em contato conosco. Essa é uma lista viva e poderá ser atualizada com as suas sugestões.

Materiais de apoio

Francine Pereira

Jornalista, especializada em criação de conteúdo digital. Há mais de 10 anos escrevo sobre tendências de consumo, inovação, tecnologia, empreendedorismo, marketing e vendas. Minha missão aqui no A Economia B é contar histórias de empresas que estão ajudando a transformar o mundo em um lugar mais justo, igualitário e sustentável.

Comentar

Clique aqui para publicar um comentário

Guia para empresas

Guia para empresas